Condutor multado por ter banco descosido

[smartslider3 slider=”99″]

Um condutor do Marco de Canaveses foi multado pela GNR, em Vila Boa do Bispo, em 7,48 euros, por infração ao Regulamento do Código da Estrada. Tinha o banco do condutor “não estofado”.

De acordo com o auto de contraordenação, passado pela GNR de Alpendorada fez esta quinta-feira uma semana, em causa está o artigo 23 do Regulamento do Código da Estrada (RCE), lei dayada de 1957, segundo o qual “o banco do condutor será estofado e regulável longitudinalmente”.

A coima podia ir até os 37,41 euros, mas o condutor optou por pagar na hora e assim ficou-se pelo mínimo de 7,48 euros.

O condutor, um “pequeno” empreiteiro de construção civil de Vila Boa do Bispo, ficou espantado com o motivo da coima e, ao TamegaTV, garantiu ter sido a primeira vez que foi multado. “Nem sei que lhe diga. Apenas que não fui eu que mostrei a multa no Facebook. Acontece que numa conversa de café, com um grupo de amigos, ninguém acreditava que tinha sido multado por ter o banco do carro descosido. Então fui ao bolso e ripei da multa. No meio da conversa alguém fotografou a multa sem eu ter dado conta e espetou com a fotografia no Facebook”, explicou o condutor.

A poucos metros de uma operação stop da GNR, o condutor virou para uma estrada secundaria, o que chamou a atenção dos guardas, que foram atrás dele, intercetando-o um pouco adiante. “Depois de voltas e mais voltas à carrinha e de ter soprado ao balão, os guardas multaram-me por ter o banco descosido. Fiquei de boca aberta, confessou ainda o empreiteiro.

António Orlando

Next Post

Já está na estrada o Rali Terras da Aboboreira, prova imune à pandemia

Sex Out 30 , 2020
Share on Facebook Tweet it Pin […]
Instagram did not return a 200.

Sobre Nós

Tamega.TV

O Tâmega.tv é uma publicação online diária de informação geral que pretende dar, através dos meios de difusão multimédia, uma ampla cobertura dos mais relevantes e significativos acontecimentos da região do Baixo Tâmega, em todos os domínios de interesse, sem descurar o panorama regional e nacional, assegurando a todos o direito à informação.