CIM Tâmega e Sousa vai ser compensada pelo número elevado de deslocações pendulares

A Comunidade Intermunicipal (CIM) do Tâmega e Sousa vai ser compensada pelo maior volume de deslocações pendulares. A garantida foi dada no Parlamento pelo ministro do Ambiente e da Ação Climática.

João Pedro Matos Fernandes, que falava na comissão parlamentar de Economia, Inovação, Obras Públicas e Habitação, disse que, à semelhança do que já estava previsto para a CIMOeste, também as CIM do Tâmega e Sousa, Ave, Aveiro, Médio Tejo e Lezíria do Tejo vão ser compensadas.

Os critérios do PART [Programa de Apoio à Redução Tarifária nos Transportes] para 2021 vão ser alterados e vão ser alterados acrescentando nos critérios um novo facto que é o das CIM. Os casos das CIM em que se registam maior volume de deslocações pendulares inter-regionais. Vai haver essa correção. Se calhar é passar de um milhão para um milhão e trezentos mil. O despacho para formalizar está pronto e será publicado nos próximos dias.

João Pedro Matos Fernandes, ministro do Ambiente e da Ação Climática

A partir de então, as CIM têm 15 dias para apresentar os planos para utilização das verbas.

O governante explicou que o despacho da tutela, que prevê a distribuição das verbas do PART por todo o território de Portugal continental, “vai ser diferente, tendo um critério acrescido, o das deslocações inter-regionais”.

Segundo o mais recente relatório do PART, que avaliou o impacto do programa em 2019 e foi divulgado em setembro pelo Instituto da Mobilidade e dos Transportes (IMT), a Área Metropolitana do Porto e as CIM da Lezíria do Tejo, Oeste e Trás-os-Montes foram as únicas que não devolveram dinheiro, por terem gastado todo o financiamento atribuído.

O PART tem um financiamento para 2021 de cerca de 260 milhões de euros.

Carlos Moura

Next Post

"Garcia da Horta" transfere doentes covid para o CHTS

Qui Fev 4 , 2021
Share on Facebook Tweet it Pin […]
Instagram did not return a 200.

Sobre Nós

Tamega.TV

O Tâmega.tv é uma publicação online diária de informação geral que pretende dar, através dos meios de difusão multimédia, uma ampla cobertura dos mais relevantes e significativos acontecimentos da região do Baixo Tâmega, em todos os domínios de interesse, sem descurar o panorama regional e nacional, assegurando a todos o direito à informação.