Floresta em Baião defendida, a dez anos, com 5,1 M euros

PROTEÇÃO CIVIL. Aprovado Plano Municipal de Defesa da Floresta Contra Incêndios 2021-2030 de Baião. Até à entrada em vigor o documento terá ainda de passar no crivo do ICNF e Assembleia Municipal

Comissão Municipal de Defesa da Floresta Contra Incêndios aprovou plano a 20 de maio
Comissão Municipal de Defesa da Floresta Contra Incêndios aprovou plano a 20 de maio
20989295_1121320751333952_1710955834787622707_o
20989295_1121320751333952_1710955834787622707_o

Entre investimento monetário direto e a disponibilização de recursos humanos e técnicos, a Comissão Municipal de Defesa da Floresta de Baião, prevê como necessário um investimento de 5 milhões e 181 mil euros para a implementação do Plano Municipal de Defesa da Floresta Contra Incêndios (PMDFCI) para o período 2021 a 2030.

De acordo com o plano os recursos serão suportados pelas entidades envolvidas, nomeadamente a Câmara Municipal de Baião, Comunidade Intermunicipal do Tâmega e Sousa, Infraestruturas de Portugal (IP), E-Redes, REN, Associação Florestal de Entre Douro e Tâmega, Órgãos Gestores de Baldios, Bombeiros Voluntários de Baião e de Santa Marinha do Zêzere e a GNR.

Das várias ações propostas neste Plano, destacam-se as relacionadas com a gestão de combustíveis (execução de limpezas e fogo controlado em locais estratégicos), a abertura ou beneficiação da rede viária florestal, a construção de pontos de água de apoio ao combate, a vigilância e deteção de incêndios, a fiscalização do espaço florestal e a sensibilização dos cidadãos para a defesa da floresta.

A execução do plano será da responsabilidade dos vários intervenientes com infraestruturas implantadas no Município e com responsabilidades legais atribuídas na Defesa da Floresta Contra Incêndios (Câmara Municipal, IP, E-Redes, REN, Associações de Produtores Florestais, Órgãos Gestores de Baldios e população em geral).

O documento seguirá agora para o Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF) para colher parecer vinculativo, ao que se seguirá um processo de consulta pública, aprovação em Assembleia Municipal e publicação em Diário da República.

Os Planos Municipais de Defesa da Floresta Contra Incêndios são documentos de planeamento estruturante e dizem respeito à defesa das populações, dos seus bens e da floresta. Trata-se de um instrumento de planeamento dinâmico e adaptado à realidade, no caso, do concelho Baião.

O presidente da Câmara de Baião, Paulo Pereira, destacou na reunião “a grande importância” e o “caráter estrutural” do documento. O autarca aludiu à qualidade do documento técnico produzido pelos serviços municipais responsáveis por esta área, em diálogo e cooperação com as entidades da proteção civil.

A reunião onde foi aprovado o PMDFCI de Baião foi feita por videoconferência e contou com participação do Coordenador Municipal de Proteção Civil, José Manuel Ribeiro, de representantes das Corporações de Bombeiros de Baião e de Santa Marinha do Zêzere, respetivamente Alexandre Pinto (Adjunto de Comando) e Márcio Vil (Comandante) e o representante dos Órgãos Gestores de Baldios, Filipe Costa (Secretário da União de Freguesias de Teixeira e Teixeiró).

Da parte da IP esteve António Vasconcelos; do Comando Distrital de Operações de Socorro do Porto da Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil, Américo Duarte; do Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas, Silvino Sousa; da REN, Gonçalo Diniz; do Instituto de Mobilidade e Transportes, Anabela Silva; da Direção Regional de Agricultura e Pescas, Pedro Pereira; e da Associação Florestal de Entre Douro e Tâmega, António Neto. 

António Orlando

Next Post

Greve dos motoristas deixa alunos de Amarante sem aulas

Seg Jun 7 , 2021
Share on Facebook Tweet it Pin […]

Sobre Nós

Tamega.TV

O Tâmega.tv é uma publicação online diária de informação geral que pretende dar, através dos meios de difusão multimédia, uma ampla cobertura dos mais relevantes e significativos acontecimentos da região do Baixo Tâmega, em todos os domínios de interesse, sem descurar o panorama regional e nacional, assegurando a todos o direito à informação.