III Prémio de Literatura Infantojuvenil Ilídio Sardoeira: e a vencedora é… Soni Esteves

LIVROS. Em 2020, a escritora havia já vencido a II edição, à qual concorreu com “A casa da avô”, cuja estória viria a ser ilustrada por Joana Antunes.

Sóni Esteves

A escritora Sóni Esteves (nome literário de Maria da Conceição Esteves Silva) venceu a III edição do Prémio de Literatura Infantojuvenil Ilídio Sardoeira, organizado pela União de Freguesias de Amarante (S. Gonçalo), Madalena, Cepelos e Gatão, com o conto “A que sabe o mar”.

Sobre a distinção que o Júri voltou a atribuir-lhe, Soni Esteves, fala em “enorme alegria ao saber-me vencedora desta terceira edição do Prémio, não só por o júri ter destacado, uma vez mais, o meu trabalho, mas sobretudo por
me dar a possibilidade de ver o conto editado em livro. Ver um conto meu editado e saber que ele vai ser lido por jovens leitores amarantinos, é mesmo o melhor do Prémio””, refere.

Soni Esteves recordou que “quando, há um ano, venci a segunda edição, tive a oportunidade de contactar, ainda que à distância, com alunos do 4.º, do 6.º e do 9. anos, e foi muito gratificante poder ouvir os seus comentários e responder às suas perguntas, algumas delas surpreendentes. Anseio por fazer o mesmo com o conto ‘A que sabe o Mar’, se possível presencialmente”.

Sobre “A que sabe o mar”, trata-se de uma obra completamente diferente de “A casa da avó”: “descreve outros ambientes, outras vivências e aborda o problema dos refugiados, uma realidade bem distante das nossas crianças e jovens. No entanto, não vivemos numa bolha e os problemas do mundo são os nossos problemas, porque o mundo é a nossa casa”.

Concurso democratiza o acesso aos livros

Joaquim Pinheiro, Presidente da Junta da União de Freguesias de Amarante, admitindo ser o Prémio de Literatura Infantojuvenil Ilídio Sardoeira a última atividade de âmbito cultural que “abraça” enquanto autarca, considera não
poder estar mais feliz por “’fechar’ o mandato com a conclusão da IIIª edição que vai possibilitar a oferta de cerca de 20 mil exemplares da obra vencedora e que inclui todos os alunos (de escolas públicas e privadas) do 4º, 6º e 9º anos
de escolaridade, do concelho de Amarante”.

“Concluir a IIIª edição do Prémio de literatura Infantojuvenil Ilídio Sardoeira foi, para mim, motivo de enorme alegria. Esta iniciativa (conjuntamente com a Festa do Livro, que organizamos desde 2013) insere-se no compromisso da União de Freguesias de tudo fazer para a promoção da leitura e da escrita, contribuindo, assim, para democratizar o acesso aos livros e estimular os hábitos de leitura e escrita, nomeadamente em ambiente famíliar”, sublinhou.

“A minha satisfação é ainda maior ao verificar que o Júri (escritor António Mota, escritor José António Gomes e Dra. Sara Reis da Silva (professora do Instituto de Educação da U. Minho) considerou, de forma unânime, que a qualidade deste concurso é evidente e que se afirma à medida que as edições vão avançando, ou seja, a qualidade dos textos submetidos a concurso tem aumentado notoriamente”.

SABER MAIS:
Maria da Conceição Esteves Silva

  • Nasceu e vive em Braga
  • Estudou na Universidade do Minho “Licenciatura em Ensino de Português”
    Professora do Ensino Básico e Secundário
  • Escreve, geralmente, com o pseudónimo “Soni Esteves”, que dá também nome ao blogue
    “soniesteves.blogspot.com”
  • Escreveu várias peças de teatro, com a finalidade de serem representadas por alunos e
    professores
  • Editou o livro “Os cães da minha rua”, Chiado, 2016
  • Em 2019 venceu o Prémio Ilídio Sardoeira, com o conto “A casa da avó”Em 2020 venceu o
    Prémio Minho Storytelling — Novos Olhares sobre o Minho, com o conto “Códigos de Fé”

António Orlando

Next Post

Floresta em Baião defendida, a dez anos, com 5,1 M euros

Seg Jun 7 , 2021
Share on Facebook Tweet it Pin […]

Sobre Nós

Tamega.TV

O Tâmega.tv é uma publicação online diária de informação geral que pretende dar, através dos meios de difusão multimédia, uma ampla cobertura dos mais relevantes e significativos acontecimentos da região do Baixo Tâmega, em todos os domínios de interesse, sem descurar o panorama regional e nacional, assegurando a todos o direito à informação.