Peritos querem máscara de volta, teletrabalho e menos pessoas em eventos

PANDEMIA. Governo decide o que fazer quinta-feira em Conselho de Ministros depois de reunir com os partidos. Morreram 132 pessoas com covid-19 que estavam vacinadas. Grande maioria das vitimas tinha mais de 80 anos revela relatório relativo a outubro

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa disse, hoje, aos jornalistas que “os especialistas apresentaram o que consideravam indispensável para esta fase” e que “a decisão sobre essa matéria pertencerá naturalmente ao Governo”, que “vai ouvir os partidos políticos e vai decidir”.

Em Portugal, desde março de 2020, já morreram mais de 18 mil pessoas com covid-19 e foram contabilizados mais de um milhão e cem mil casos de infeção com o vírus SARS-CoV-2, de acordo com a Direção-Geral da Saúde (DGS).

Segundo o boletim hoje divulgado pela DGS, nas últimas 24 horas registaram-se 2.371 novos casos de infeção e cinco mortes associadas à covid-19 e encontram-se atualmente internadas 528 pessoas com esta doença, 79 das quais em cuidados intensivos.

Especialistas propõem uso de máscara e certificado como medidas gerais

  • – climatização dos espaços interiores;
  • – uso do certificado digital;
  • – autoavaliação do risco;
  • – promoção de atividades realizadas ao ar livre ou por via remota “sempre que possível”;
  • – uso obrigatório de máscara em ambientes fechados e públicos;
  • – distanciamento físico com a definição de números máximos de pessoas por metro quadrado

Propostas por setor

  • – Escolas, comércio, restauração, alojamento, hotelaria e atividades desportivas: apenas o cumprimento das medidas gerais;
  • – Trabalho: desfasamento de horários e recurso ao teletrabalho “sempre que possível”;
  • – Eventos de grande dimensão: não deverão realizar-se “se não for possível controlá-los” (ou seja, se não for possível garantir que as medidas gerais são aplicadas); os restantes deverão ter a definição de circuitos claros de circulação;
  • – Circulação em espaços públicos: manutenção de distância e uso de máscara “perante a perceção de que existe risco”;
  • – Convívios familiares: recurso aos autotestes;
  • – Lares: promoção de certificado digital para utentes, “testagem regular” para funcionários e visitas e promoção de medidas de controlo da infeção;
  • – Transportes públicos: utilização obrigatória de máscara e ventilação adequada

Morreram 132 pessoas com covid-19 que estavam vacinadas. Grande maioria com mais de 80 anos

Desde o início da vacinação que foram registados mais de 66 mil casos de infeção em pessoas com esquema vacinal completo. Destas, 467 morreram, sendo que a esmagadora maioria das vítimas estava acima dos 80 anos. Os dados foram hoje revelados pelo relatório semanal do Instituto Nacional de Saúde Ricardo Jorge (INSA) sobre as Linhas Vermelhas da pandemia.

No entanto, e segundo o mesmo documento, o risco de morte, que é medido através da letalidade por estado vacinal, é muito baixo – ou seja, quatro vezes menor nas pessoas com vacinação completa do que nas pessoas sem esquema vacinal completo.

O INSA realça haver uma estabilidade na letalidade nas pessoas com esquema vacinal completo nos últimos dois meses, que está a atingir especialmente os grupos dos 70 aos 79 anos (0,7% em julho; 1,9% em agosto; 2,2% em setembro; e 2,1% em outubro ) e dos 80 e mais anos (5,7% em julho; 7,5% em agosto; 7,5% em setembro; e 7,4% em outubro).

Estes resultados devem ser enquadrados com os estudos de efetividade, já que estes permitem avaliar o efeito protetor das vacinas em condições reais de utilização. E no que toca aos estudos nacionais, realizados entre fevereiro e outubro, demonstram que na população com 30 e mais anos há uma efetividade moderada das vacinas na redução de infeção sintomática (superior a 50%) e elevada na redução das hospitalizações e óbitos associados (superior a 80%). Ou seja, e como têm vindo a explicar muitos especialistas, as vacinas têm uma eficácia superior em travar a doença grave e a mortalidade, mas uma eficácia moderada na transmissão da infeção.

A ​​​​​​​covid-19 é uma doença respiratória provocada pelo coronavírus SARS-CoV-2, detetado em final de 2019 em Wuhan, cidade no centro da China.

Incidência de casos Covid por 100 mil habitantes nos últimos 14 dias

  • Amarante – 192 casos 
  • Marco de Canaveses – 135 casos
  • Baião – 135 casos
  • Resende – 100 casos
  • Celorico de Basto – 74 casos

Relatório da DGS desta sexta feira aqui

António Orlando

Next Post

David Pereira (1968-2021)

Sex Nov 19 , 2021
Share on Facebook Tweet it Pin […]

Sobre Nós

Tamega.TV

O Tâmega.tv é uma publicação online diária de informação geral que pretende dar, através dos meios de difusão multimédia, uma ampla cobertura dos mais relevantes e significativos acontecimentos da região do Baixo Tâmega, em todos os domínios de interesse, sem descurar o panorama regional e nacional, assegurando a todos o direito à informação.