Protestos por fecho de escola em condições 

PARQUE ESCOLAR. Pais e Encarregados de Educação da EB1 Constance, em protesto, foram à Assembleia Municipal dizer não querem escola transformada em Habitação Social 

A Câmara do Marco de Canaveses admite transformar a EB1 e Jardim de Infância da freguesia de Constance em Habitação Social. O encerramento do estabelecimento de ensino, previsto acontecer no final do presente ano letivo, é contestado pela Associação de Pais, e foi dito, ontem, aos órgãos autárquicos reunidos na Assembleia Municipal.  

O “histórico” de redução do número de alunos é o argumento usado pela autarquia para o encerramento da EB1 de Outeiro, mas contestado pelos encarregados de educação. Atualmente estão 36 crianças matriculadas nesta escola. “Se no passado houve redução, também houve aumento, como é o caso atual”, garantem. Para o novo ano letivo já não estão a ser aceites matrículas. Os alunos serão transferidos para a EB1 Ladário, em Fontelas, na mesma freguesia de Constance. 

Os encarregados de educação acusam a autarquia de “manipular” a informação acerca da ordem de encerramento da EB1 de Constance, ao sacudir as culpas para Direção- Geral dos Estabelecimentos Escolares (DGEstE), quando, no dizer de Vítor Silva, da Associação de Pais,  há uma opção política por trás: “transformar a escola em habitação social”, com os fundos do Plano de Recuperação e Resiliência (PRR) que financiam a Estratégia Local de Habitação. 

A Câmara admite readaptar a Escola de Outeiro a habitação social, porque “entre ter uma escola devoluta a degradar-se e fazer ali habitação social, claro que optamos pela habitação, tal como já estamos a fazer noutras escolas encerradas, respondeu Cristina Vieira, presidente da Câmara do Marco de Canaveses

Cristina Vieira explicou que a estimativa demográfica, vertida na Carta Educativa é que de 2020/2021 até 2033/34 teríamos 2068 crianças a frequentar o pré-escolar, mas não vamos ter. Vamos ter menos 35% de alunos. A questão é esta. Não há escolas abertas se não houver alunos”, concluiu.

Após a reunião da Assembleia Municipal, os pais dizem ter recebido a garantia do Diretor Regional de Educação do Norte de que os receberá em reunião que será formalizada nos próximos dias.

Légua deixa de ter jardim de Infância

Helena Oliveira, encarregada de educação dos alunos do Jardim de Infância da Légua, outra das escolas que vai encerrar no final deste ano letivo. Tal como os homólogos de Constance, também foi à AM acusar a Câmara de decidir o encerramento por integração . “A DGEstE limita-se a concordar”, disse.

O plano de reordenamento escolar no concelho compreende ainda o encerramento da escola do Jardim de Infância e EB1 de Igreja, em Banho e Carvalhosa, por integração na EB1 de Regoufe, da mesma freguesia.

António Orlando

Next Post

Inscrições abertas para professores voluntários na Universidade Sénior de Amarante

Ter Jun 28 , 2022
Share on Facebook Tweet it Pin […]

Sobre Nós

Tamega.TV

O Tâmega.tv é uma publicação online diária de informação geral que pretende dar, através dos meios de difusão multimédia, uma ampla cobertura dos mais relevantes e significativos acontecimentos da região do Baixo Tâmega, em todos os domínios de interesse, sem descurar o panorama regional e nacional, assegurando a todos o direito à informação.