Comandos sub-regionais de emergência e proteção civil em funções em 2023

PROTEÇÃO CIVIL. Fim dos 18 comandos distritais de operações e socorro (CDOS) e a criação de 23 comandos sub-regionais de emergência e proteção civil estava previsto desde 2019. A unidade do Tâmega e Sousa fica sediada na Casa da Juventude de Chavães, em Baião.

Casa de Chavães, em Baião, acolhe um dos 23 comandos sub-regionais de emergência e proteção civil , no caso a unidade do Tâmega e Sousa
Casa de Chavães, em Baião, acolhe um dos 23 comandos sub-regionais de emergência e proteção civil

Os comandos sub-regionais de emergência e proteção civil (SREPC), que vão pôr fim aos comandos distritais de operações e socorro (CDOS), vão entrar em funcionamento em janeiro de 2023, estando atualmente em fase de testes cinco das novas estruturas.

A secretária de Estado da Proteção Civil, Patrícia Gaspar, determinou a realização de uma fase de testes, a partir de 01 de setembro, de cinco salas de operações e comunicações, tendo em vista a preparação da entrada em funcionamento das estruturas sub-regionais da Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANEPC), que ocorrerá a 01 de janeiro de 2023.

Segundo o Ministério da Administração Interna (MAI), esta fase de testes realiza-se no Alto Tâmega, Tâmega e Sousa, Ave, Médio Tejo e Oeste, tendo como finalidade “a partilha de conhecimentos e o aproveitamento de sinergias entre os operadores de telecomunicações dos atuais comandos distritais de operações de socorro e os operadores de telecomunicações de emergência dos futuros SREPC”.

O MAI sustenta que estas salas de operações estão a funcionar “em ambiente de teste” e “não terão qualquer intervenção operacional”.

O fim dos 18 comandos distritais de operações e socorro (CDOS) e a criação de 23 comandos sub-regionais de emergência e proteção civil estavam previstos na lei orgânica da ANEPC, que entrou em vigor em abril de 2019.

Na altura ficou decidido que a nova estrutura regional e sub-regional entrava em funcionamento de forma faseada, estando já em funções os comandos regionais e falta a criação dos 23 SREPC em vez dos atuais CDOS.

Para o Ministério da Administração Interna, a criação dos comandos sub-regionais é mais um passo na concretização da lei orgânica da ANEPC, que compreende, ao nível do comando operacional, o comando nacional de emergência e proteção civil, os comandos regionais de emergência e proteção civil e os comandos sub-regionais de emergência e proteção civil.

O MAI sublinha também que a criação destas estruturas dá cumprimento ao programa do Governo, que definiu a implementação do “novo modelo territorial de resposta de emergência e proteção civil, baseado em estruturas regionais e sub-regionais, em estreita articulação com as entidades competentes e desenvolvido com a participação dos bombeiros voluntários e das autarquias locais”.

“A nova estrutura visa reforçar a capacidade da resposta operacional da ANEPC, num modelo que privilegia uma maior proximidade territorial aos agentes de proteção civil e às populações”, refere ainda o MAI.

No despacho que determina a entrada em funcionamento, em fase de testes, das salas de operações e comunicações dos comandos sub-regionais de emergência e proteção civil do Alto Tâmega, Tâmega e Sousa, Ave, Médio Tejo e Oeste, a secretária de Estado sublinha que se pretende, com esta fase de testes, “recolher ensinamentos sobre a coordenação entre os diferentes níveis da estrutura operacional da ANEPC e o pleno funcionamento dos equipamentos de suporte”.

“Durante a fase de testes, os comandantes operacionais distritais com jurisdição territorial sobre o concelho onde se localizam os comandos sub-regionais de emergência e proteção civil, são responsáveis pelo funcionamento da sala de operações e comunicações do respetivo comando sub-regional”, refere o despacho.

O documento frisa ainda que, “durante a fase de testes, promove-se a partilha de conhecimentos e o aproveitamento de sinergias entre os operadores de telecomunicações dos comandos distritais de operações de socorro e os operadores de telecomunicações de emergência dos SREPC”.

Enquanto os atuais CDOS têm uma competência distrital, as 23 estruturas sub-regionais vão ter uma circunscrição territorial correspondente ao território das entidades intermunicipais do continente.

António Orlando

Next Post

Criatividade dos alunos desafiada na defesa da água através de concurso

Seg Set 5 , 2022
Share on Facebook Tweet it Pin […]

Sobre Nós

Tamega.TV

O Tâmega.tv é uma publicação online diária de informação geral que pretende dar, através dos meios de difusão multimédia, uma ampla cobertura dos mais relevantes e significativos acontecimentos da região do Baixo Tâmega, em todos os domínios de interesse, sem descurar o panorama regional e nacional, assegurando a todos o direito à informação.