UTAD atribui doutoramento Honoris Causa ao Selecionador Nacional de Futsal“

ACADEMIA. Receber o Honoris Causa pela UTAD é uma enorme honra e um sentimento de gratidão imenso”

O Selecionador Nacional de Futsal Masculino, Jorge Braz, vai ser distinguido, a 18 de outubro, com o Doutoramento Honoris Causa da Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (UTAD), numa cerimónia que terá lugar na Aula Magna e que contará com a presença de várias personalidades ligadas ao desporto.

“Receber o Doutoramento Honoris Causa pela UTAD representa uma enorme honra e um sentimento de gratidão imenso. A UTAD e a região ‘detrás das pedras’, como orgulhosamente apelido, foram decisivos no meu percurso profissional e humano”, afirma Jorge Braz.

Bicampeão europeu, campeão mundial da modalidade, e, mais recentemente, vencedor da primeira edição da Finalíssima Intercontinental, Jorge Braz é uma marca do desporto português. Além do reconhecimento do percurso profissional, a atribuição deste grau académico é, também, uma forma de gratidão pelo trabalho que Jorge Braz fez ao serviço da AAUTAD, tendo conquistado o campeonato universitário de futsal masculino na temporada 2001/02.

“É, por isso, um orgulho para mim, enquanto reitor da UTAD, que Jorge Braz possa juntar este título Honoris Causa ao seu palmarés”, sublinha Emídio Gomes.

Na cerimónia de Doutoramento Honoris Causa, Fernando Gomes, presidente da Federação Portuguesa de Futebol, será o padrinho do homenageado, cujo percurso profissional será elogiado por Tiago Brandão Rodrigues, antigo Ministro da Educação e agora deputado na Assembleia da República.

Ficha técnica

  • Jorge Gomes Braz é o nome do homem que fez história no desporto português, tendo guiado a Seleção Nacional de Futsal até ao topo. Sagrou-se bicampeão europeu, um título somado ao de campeão mundial da modalidade, e, mais recentemente, conquistou a primeira edição da Finalíssima Intercontinental. Foi distinguido como melhor selecionador do mundo por quatro vezes pelo ‘Futsal Planet’ e nunca esqueceu as suas raízes transmontanas.
  • Nascido em Edmonton (Canadá), em 1972, o Selecionador Nacional de futsal deu os primeiros toques na bola em Sonim, freguesia de Valpaços de onde eram os seus progenitores. Acabaria por se tornar guarda-redes do Grupo Desportivo de Chaves, clube onde fez a sua formação e chegou a jogador sénior. Defendeu, ainda, a baliza do Sport Clube de Vila Pouca de Aguiar.
  • Depois deste contacto com o futebol, Jorge Braz percebeu que seria o futsal a conquistar-lhe o coração. Foi na Universidade do Minho que, em 1997, começou o seu percurso como treinador. Seguiu-se a experiência como treinador na AAUTAD (entre 2001 e 2003), antes de regressar à academia minhota, onde permaneceu até 2004.
  • Até 2007, esteve na Fundação Jorge Antunes, conseguindo um terceiro lugar no Campeonato Nacional da 1.ª Divisão. Seguiram-se os títulos de Campeonato Mundial Universitário Masculino e vice-Campeonato Mundial Universitário Feminino.
  • Jorge Braz fez a estreia como treinador nacional de futsal a 23 de setembro de 2003, frente ao Azerbaijão, mas só a partir de julho de 2006 se fixou na equipa técnica nacional, coadjuvando Orlando Duarte. Em julho de 2010, assumiu o cargo de Selecionador Nacional e já juntou ao palmarés: dois campeonatos europeus (2018 e 2022), um campeonato mundial (2021), a Finalíssima Intercontinental (2022).
  • Licenciado em Educação Física pela Faculdade de Ciências do Desporto e Educação Física da Universidade do Porto e com um mestrado em Ciências do Desporto (especialização de Treino em Alto Rendimento Desportivo), Jorge Braz é uma marca na histórica do desporto português.

António Orlando

Next Post

Centro de Arbitragem de Conflitos de Consumo do Ave, Tâmega e Sousa reuniu com o governo 

Qua Out 12 , 2022
Share on Facebook Tweet it Pin […]

Sobre Nós

Tamega.TV

O Tâmega.tv é uma publicação online diária de informação geral que pretende dar, através dos meios de difusão multimédia, uma ampla cobertura dos mais relevantes e significativos acontecimentos da região do Baixo Tâmega, em todos os domínios de interesse, sem descurar o panorama regional e nacional, assegurando a todos o direito à informação.