Pedro Nuno Santos já não é ministro. Demitiu-se

POLÍTICA. O ministro das Infraestruturas e Habitação, Pedro Nuno Santos, e o secretário de Estado das Infraestruturas, Hugo Mendes, demitiram-se no seguimento da mais recente polémica com a TAP, que envolveu Alexandra Reis, antiga secretária de Estado do Tesouro. António Costa já aceitou o pedido de demissão do ministro. Saída do governo de Pedro Nuno Santos pode ter implicações para a região do Douro, Tâmega e Sousa.

Pedro Nuno Santos explicou, em comunicado, que “face à perceção pública e ao sentimento coletivo gerados em torno” do caso da TAP, decidiu “assumir a responsabilidade política e apresentar a sua demissão”. Pedido aceite, pouco tempo depois, por António Costa.

A saída acontece na sequência da mais recente polémica com a TAP, que resultou também na saída de Alexandra Reis, que recebeu uma indemnização de meio milhão de euros por sair antecipadamente, em fevereiro, do cargo de administradora executiva da transportadora aérea, quando ainda tinha de cumprir funções durante dois anos. Em junho, foi nomeada pelo Governo para a presidência da Navegação Aérea de Portugal (NAV) e no final do ano escolhida para secretária de Estado do Tesouro.

A saída do governo de Pedro Nuno Santos pode ter implicações para a região do Douro, Tâmega e Sousa

Pedro Nuno Santos tinha em sua posse dossiers de obras tidas como fundamentais para a região do Douro, Tâmega e Sousa.

Na rodovia, e à cabeça, a construção do “famoso” IC35 em Penafiel/Entre-os-Rios, mas também as ligações de Baião à ponte da Ermida e de Soalhães (Marco de Canaveses) a Mesquinhata (Baião). Estas duas últimas, uma vez realizadas, irão permitir a aproximação ao litoral dos concelhos de Baião, Resende e Cinfães.

Na ferrovia, a eletrificação da linha do Douro do Marco de Canaveses até à Régua e a reabertura da linha até Barca d´Alva são outros dossiers que Pedro Nuno Santos bem conhece e que, aparentemente, tinham a sua simpatia. Aliás, em outubro último, o agora ex-ministro das infraestruturas anunciou para o primeiro trimestre de 2023, o concurso da reabilitação do troço da Linha do Douro entre Pocinho e Barca d’Alva.

Na pasta da habitação, a estratégia é descentralizada nas autarquias às quais foram prometidos por Pedro Nuno Santos muitos milhões do Plano de Recuperação e Resiliência (PRR). No Marco de Canaveses, por exemplo, há promessas de investimento na ordem dos 15 milhões de euros.

Hugo Mendes também se demitiu do cargo de secretário de Estado das Infraestruturas

António Orlando

Next Post

Morreu Pelé, o Rei que encheu os relvados nos anos 50,60 e 70 do séc. XX

Qui Dez 29 , 2022
Share on Facebook Tweet it Pin […]

Sobre Nós

Tamega.TV

O Tâmega.tv é uma publicação online diária de informação geral que pretende dar, através dos meios de difusão multimédia, uma ampla cobertura dos mais relevantes e significativos acontecimentos da região do Baixo Tâmega, em todos os domínios de interesse, sem descurar o panorama regional e nacional, assegurando a todos o direito à informação.